Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ficaasaber

ficaasaber

Biblioteca...

Qua | 27.02.13

Opinião sobre "Traição Mortal" de J.D.Robb

Titinha

Antes de falar do livro, vou falar um pouco sobre a série Mortal.

J.D.Robb é o pseudónimo da escritora Nora Roberts e é sobre este nome, que a autora escreve uma série policial, a história começa no ano de 2052 e este foi um dos motivos que me fez pensar se queria começar a lê ou não, porque fora livros de época/históricos, outro genero literário que não gosto é ficção cientifica, as histórias rocambolescas de naves espaciais, seres com antenas e verdes. Porém nada disso está presente na série... Ok, há coisas que nos levam para um ano futuro, como viagem para fora do planeta, carros que tanto andam em terra como no ar, "maquinazinhas" que nos preparam num piscar de olhos, um bife com batatas fritas... Não há doenças, as pessoas vivem muito mais, as armas são proibidas, comunicações são feitas por contacto visual (algo que já acontece), etc... Etc... Não vi homens verdes, a não ser o MacNab mas esse é porque usa roubas muito "chamativas"... De resto, as emoções são as mesmas, as pessoas matam, morrem, amam, sofrem, lutam, sorriem, são felizes, amigas, tem maldades, são psicopatas... Todo o que estamos habituados no nosso tempo.

 

A escrita da autora não me era estranha, já que a "acompanho" como Nora Roberts, só não conhecia assim tão bem a sua vertente policial, já que como Roberts esse toque policial é leve, aqui tomei contacto com a escrita mais forte e até macabra de assassinatos, e todo o que implica os mesmos.

 

Esta série baseia-se essencialmente em dois personagens.

Eve... Eve Dallas, Tenente de homicídios, do departamento de polícia de Nova Iorque, uma mulher que sofreu abusos até aos seus 8 anos, onde foi encontrada em Dallas, sem saber quem era e sem lembrar do passar. É uma personagem muito dura, crua, sem um pingo de vaidade, nasceu para ser policia, para "tomar" conta dos mortos e de lhe fazer justiça. Esta mulher, que não quer amarras, esta mulher que não sabe transmitir os seus sentimentos, que não quer senti-los acaba por dizer no último livro editado em Portugal esta pequena frase:

 

- Quando te conheci - disse Eve cuidadosamente, - não te queria na minha vida. Eras uma grande complicação para mim. De cada vez que olhava para ti, que ouvia a tua voz ou que pensava em ti, simplesmente, a complicação tornava-se maior.
- E agora?
- Agora? És a minha vida. (...)"


E quem é o felizardo que ouviu esta frase, é um dos melhores personagens masculino que já li nos livros.

Roarke, um homem misterioso, um homem riquíssimo, um homem com um passado obscuro, irlandês, nasceu em Dublin, filho de um pai violento, não conhece a mãe ou até ao momento não temos informação sobre ela, cresceu na rua a cometer pequenos (ou grandes) crimes mas neste momento é um homem respeitado. Ama acima de tudo a sua mulher e ai de quem lhe tocar com um dedo para a magoar... Homem charmoso, lindo, de um enorme magnetismo, olhos azuis e boca de poeta.


Como é óbvio, há na série outras personagens, como um empregado do Roarke, o Summerset que veio com ele de Dublin, uma amiga cantora da Eve a Mavis, o antigo mentor e parceiro da Eve, capitão Feeney, a nova parceira da Eve a detective Peoboy o detective McNabb, um ás nos computadores e a Dra. Mira a psicóloga que trabalha com a policia.


Em Portugal até agora já foram editados os seguintes livros:

1. Nudez Mortal 
2. Glória Mortal 
3. Fama Mortal 
4. Êxtase Mortal
5. Cerimónia Mortal
6. Vingança Mortal
7. Oferenda Mortal
8. Conspiração Mortal
9. Lealdade Mortal
10. Testemunha Mortal
11. Julgamento Mortal
12. Traição mortal


Agora o último livro que li.


Sinopse:
Durante uma gala no luxuoso Hotel Palácio Roarke, uma criada prestes a começar mais uma noite de rotina encontra o seu pior pesadelo. Um assassino deixa-a morta e estrangulada. Eve Dallas está presente no evento e torna-se imediatamente a detective encarregue do caso. Os resultados de ADN apontam para um assassino em série, procurado pelo FBI, que está à solta há mais de quarenta anos. Mas neste estranho caso, conhecer o assassino não basta para resolver o crime. Há mais alguém envolvido. Alguém com motivos pessoais.
Como se não bastasse, Roarke acaba de receber a visita de um velho amigo dos seus anos como ladrão e vigarista em Dublin. Para Eve o momento da chegada é muito suspeito e, para complicar as coisas, tudo aponta para a aterradora possibilidade de o próximo alvo do assassino ser o seu próprio marido. Conseguirá ela travar a tragédia a tempo?


Opinião:

O que dizer... Mais um excelente livro.

Este livro ao contrário dos anteriores se a minha memória não falha, sabemos logo quem é o assassino, quem anda a matar, não temos é a informação de quem são os seus mandantes porém a meio do livro ficamos com ideia de quem é/são. Este ponto não tirou a emoção e continuamos, eu pelo menos continuei a ler com prazer.

Ficamos a saber um pouco mais sobre o misterioso passado do Roarke, vemos como está a relação entre ele e a Eve, assim como outras que começaram em livros anteriores. Há mais uns quantos mortos, mas o que seria dos livros de Eve sem mortos, há mais umas mazelas mas no fim tudo se resolve e ficamos sentadinhos no sofá a pedir por mais, pelo próximo livro, pela próxima aventura de Eve e o seu maravilhoso marido Roarke.

 

Série a não perder.

 

Em 5 estrelas dei 4!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.