Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ficaasaber

ficaasaber

Biblioteca...

Seg | 04.02.13

Opinião sobre "À Luz da Meia-Noite" de Sherrilyn Kenyon

Titinha

Sinopse:

Conheçam Aidan O’ Conner.
Uma celebridade generosa que tudo oferecia e nada pedia em troca… até ser enganado pelos que o rodeavam. Agora Aidan nada quer do mundo ou sequer fazer parte dele.
Quando uma estranha mulher aparece à sua porta, Aidan sabe que já a viu antes… nos seus sonhos. Uma deusa nascida no Olimpo, Leta nada sabe do mundo dos humanos. Mas um inimigo implacável expulsou-a do mundo dos sonhos e para os braços do único homem capaz de a ajudar: Aidan. Os poderes imortais da deusa derivam de emoções humanas, e a raiva de Aidan é todo o combustível que precisa para se defender…

Uma fria noite de inverno irá mudar as suas vidas para sempre… Aprisionados durante uma tempestade de inverno brutal, Aidan e Leta terão que conquistar a única coisa que os poderá salvar a ambos – ou destruí-los – a confiança. Conseguirão triunfar sobre todos os obstáculos?

 

Opinião:

Devo ser das pessoas mais suspeitas para falar e dar opinião sobre os livros da SK, por mais que leia que os mesmos são mais fracos, que ela está a inventar coisas rocambolescas, que anda a "trocar os pés pelas mãos", não consigo deixar de gostar dos livros, seja que temática for, seja que personagem for, fica num cantinho do meu coração e memória, só reservado para os livros dela. Por brincadeira digo que tenho um "fetiche" por ela, bem não quero cá confusões, "fetiche" pelos seus livros. 

 

Este À luz da Meia-Noite, relata a história do um homem normal Aidan, que no decorrer de toda a sua vida, deu tudo de si aos outros e só levou "pontapés na boca", palavras do mesmo, que se isola do mundo no alto da sua montanha, até que uma linda mulher lhe bate à porta, Leta uma deusa dos sonhos, está vai atrás da fúria de Aidan conta o mundo, para com a força dele combater um velho inimigo, Dolor o deus da dor. Esse deus coloca a vida de Aidan em risco. Não vou entrar mais na história, para assim não desvendar mais do que devia, tem que ler para saber mais.

É um livro que para mim parece mais um conto (pelo seu tamanho e história), do que um livro que desenvolve a história dos Dark-Hunter. Porém não deixa de ser muito bom de ler, já que a Kenyon escreve de uma determinada forma, que nos leitores (falo por mim claro) conseguimos sentir toda a dor, a raiva e a mágoa de uma personagem. Ah! Esquecia do mimo que nos é dado no final do livro, é Natal e esse Natal percorre todas as casas. 

 

Recomendo este pequeno mas saboroso livrinho.

 

Em 5 estrelas, dou-lhe 4.